Skip to content

Aplicação Humana

A Prata Coloidal pode ser ingerida, aplicada em feridas, cortes, alergias externas, nos pés,

Algumas sugestões de doenças tratadas com a prata coloidal, conforme testemunhais, extensa bibliografia disponível na internet e em muitas empresas que comercializam o produto livremente nos Estados Unidos, Canadá, Europa e outros. Pode-se procurar também por “colloidal silver” nos motores de busca como o Google.

Solução mãe considerada: 15 minutos de eletrodos mergulhados e em operação, em 250 ml de água mineral comum cada dose equivale a 10 ml.

Acne – além de tomar a solução-mãe, lave o rosto várias vezes ao dia com a solução- mãe, deixando-a secar na pele.
Amigdalite – faça gargarejos com solução-mãe
Antrax – apendicite – artrite – blefharitis – Câncer de pele – além de tomar a solução-mãe, mesmo procedimento em relação à acne.
Câncer – ingestão de solução-mãe de 4 a 8 vezes ao dia.
Cândida albinas – ingestão de solução-mãe cerca de 4 vezes ao dia.
Caspa – umedeça o couro cabeludo com solução-mãe e deixe secar – pode-se adicionar um pouco no gel, misturando-o com a solução, caso se use com frequência.
Catarro – chagas – colite crônica – cobreiro – coceira anal – além de tomar, lave a área com solução-mãe.
Coqueluches – ingestão de solução-mãe cerca de 6 vezes ao dia + inalação.
Conjutivite – pingue a solução nos olhos várias vezes ao dia, podendo ser uma mistura de 50% de soro fisiológico e 50% de solução-mãe pura.
Doença Minere – infecção por cryptosporódium – ingestão de solução-mãe cerca de 4 vezes ao dia.
Infecção nas orelhas – ouvidos – otite – pingue solução-mãe no local várias vezes ao dia, solução pura.
Cistites – dermatites – aplique compressas umedecidas em solução-mãe.
Desordens intestinais – desordens na próstata – diabetes – diarréia – difteria – eczema – febre tifóide – fendas nos pés – pingue solução-mãe sobre a área.
Furunculoses – pingue ou aplique gaze embebida em solução-mãe sobre a área.
Gastrites – gonorréia – tomar a solução mãe e lavar o local com a mesma.
Gripe – tomar a solução-mãe.
Hemorróidas – tomar e lavar o local com a solução-mãe.
Herpes – tomar e lavar o local das feridas produzidas pelo vírus com a solução-mãe, várias vezes ao dia.
Infecções bacterianas em qualquer órgão – infecções por estreptococus e estafilococus – salmonellas – lepra – tomar e usar gazes embebidas com solução-mãe nos locais.
Leucemia – tomar solução-mãe de 4 a 8 vezes ao dia.
Queimaduras diversas – tomar a solução-mãe e embeber gazes com solução-mãe misturada entre 20% a 50% com soro fisiológico – opcionalmente – várias vezes ao dia.
Síndrome de fadiga – reumatismo – rinites – seborréia – aplicar no local.
Sífilis – septicemia – tétano – meningites – tifo – tuberculose – úlceras – verrugas – aplicar no local a solução-mãe várias vezes ao dia.
Vírus diversos, incluindo o HIV e outros como da hepatite.
Podem-se criar inúmeras opções de uso, desde a profilaxia vaginal com uso da solução-mãe, até fungos nas unhas, mal hálito e assim por diante, tanto para uso humano, como animal e botânico, até na desinfecção de ambientes, residenciais ou hospitalares.

A Prata Coloidal não possui efeitos colaterais, mas veda-se seu uso em excesso para não prejudicar a flora bacteriana.
Siga corretamente a forma de uso recomendada para cada caso.
Se tiver alguma dúvida sobre alguma utilização/aplicação, escreva para a gente e informaremos com prazer. O uso é infinito.

Importante – além de água mineral, pode-se usar água destilada e deionizada. Nós fornecemos com exclusividade uma tabela de águas através da qual será possível que você saiba os tempos de produção de colóides em cada tipo de água, pois as características físico-químicas são diferentes de uma para outra. A água destilada é recomendada para a produção de prata coloidal quando o objetivo for injeções intramusculares ou intravenosas.

Há diferença também entre águas minerais engarrafadas, observadas em suas características físico-químicas, alterando-se a condutividade da eletricidade gerada nos eletrodos mergulhados, podendo resultar em menor tempo de exposição dos mesmos e/ou maior ou menor desgaste por eletro-erosão.

Nota:
Tendo em vista a diferença de uma pessoa para outra, taxa de imunidade, saúde, alimentação, biótipo, etc. o tempo na obtenção de resultados pode variar. Relatos e experiências próprias demonstraram isso.

Há casos de estados muito avançados da doençaa, especialmente as degenerativas, em que a prata coloidal não teve mais eficácia, assim como nenhum medicamento ou tratamentos à base de radiação. Dessa forma, procuramos informar que a prata coloidal (assim como o ouro coloidal) não fazem milagres, apenas são especialmente eficientes e eficazes, tendo em vista suas características já definidas e suas respectivas propriedades.

Câncer e Aids
A literatura internacional, bem como, casos assistidos por nós, indica curas de diversos tipos de câncer. A ingestão para estes casos, assim como outros de igual ou maior gravidade, deve se concentrar na solução-mãe, 4 a 8 vezes ao dia, na quantidade recomendada acima. Há casos de aplicação intravenosa e intramuscular de soluçao-mãe combinada com soro fisiológico ou prata coloidal produzida em água destilada, mas tal procedimento deverá ter a concordância e acompanhamento médico.

Há pesquisas em andamento para eliminação completa de retrovírus como os da Aids. A Aids é uma doençaa retro-viral e diversas literaturas têm demonstrado que o colóide de prata (veja explicação em definições) é altamente efetivo, eliminando-o, ao contrário do que ocorre com o “coquetel”. A posologia deve ser, então, a mesma utilizada para câncer, ou ainda, a aplicação intravenosa, com acompanhamento e supervisão médica.



Importante
: Os relatos sobre os efeitos dos colóides de prata e ouro são baseados em estudos disponíveis na Internet, de diversos pesquisadores de vários países, além de testemunhos pessoais, baseados no livre direito de expressão garantidos pelo Art. 5o da Constituição Federal do Brasil. Este site e seus responsáveis não garantem nenhuma “cura” de quaisquer doenças com o uso das soluções ofertadas ou das produzidas por aparelhos geradores de colóides, tendo em vista a inexistência de reconhecimento médico oficial e/ou de autoridades da Saúde. Os aparelhos são dispensados de registro no Ministério da Saúde, por se enquadrarem, na qualidade de “geradores iônicos” como “produtos correlatos”. Não recomendamos a suspensão de tratamento e acompanhamento médico de qualquer patologia

English English Français Français Deutsch Deutsch Magyar Magyar Italiano Italiano Português Português Español Español