Skip to content

Excesso de espinhas pode atrapalhar a vida social e os estudos dos adolescentes

Adolescência e espinhas são quase sinônimos. Na tentativa de esconder esse problema, vale tudo: cabelo na cara, maquiagem para meninos ou, para os mais radicais, se trancar em casa. 
Isso mesmo! Tem gente que deixa de fazer programas com os amigos e até pede aos pais para não ir à escola por causa da proliferação de pontinhos no rosto. 
Pamela de Almeida, 19, comemora que a pior fase de sua pele já passou. Ela admite que evitava até encontros familiares para não expor a acne. “Escondia meu rosto com o cabelo”, lembra. 
Já Felipe Garcia, 18, experimentou cremes, limpeza de pele e até “lifting” facial. “Nada deu certo”, lamenta. 
Agora, ele faz dieta para tomar o medicamento Roacutan. “A pele de amigos que usaram o remédio melhorou.” Felipe conta que leva uma vida normal, mas que “meninas ficam de frescura na balada” por causa de suas espinhas. 
Para a psicóloga Miriam Blanco Muniz, o impacto das espinhas na vida dos adolescentes varia, mas meninas costumam ser mais afetadas. “Para elas, a questão da imagem pesa bastante. Há jovens que se sentem destruídos pela espinha. Para eles, isso interfere no pertencimento a um grupo”, diz. 
A própria Pamela conta histórias que contrariam a lógica da psicóloga. Ela afirma que meninos do seu colégio também usavam maquiagem para esconder as espinhas. Felipe Trevisan, 25, assume que já usou corretivo para esconder as espinhas. “Foi para ir a uma formatura”, diz. 
Pamela diz que, com o tempo, aprendeu a lidar com o problema. “Lógico que não é legal ter espinhas, mas elas são uma manifestação do corpo. O importante é não se importar com o que os outros falam sobre isso.” 
Nem todos os jovens conseguem fazer como ela. 
A dermatologista Ana Cristina Alves conta que parte dos pacientes entra de cabeça baixa para ser atendido. “A acne é uma doença estigmatizante para os adolescentes, que passam a ter comportamento antissocial.” 
Em alguns casos, jovens se recusam a estudar por tanto tempo que repetem de ano. 
Um estudo da Universidade de Oslo, na Noruega, apontou que adolescentes com espinhas tendem a ir mal na escola e têm mais idéias suicidas. 
Mas não é para tanto, né? Com paciência e tratamento médico adequado você consegue se livrar das espinhas!

Fonte: Folha OnLineLer a notícia na origem.

COMENTÁRIO ACQUAPRATA:

A solução de prata coloidal aplicada em compressas no rosto tem se demonstrado muito eficaz na eliminação de cravos e espinhas. Deve-se ingerir a solução também, para combater o problema de dentro para fora. Basta molhar bem uma pequena toalha ou pano de fralda e deixar por cerca de 10 minutos duas a três vezes ao dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

English English Français Français Português Português Español Español