Skip to content

Uma entrevista com Teresa Forcades sobre a Gripe H1N1

Por Joaquim Bueno de Aguilar

Para muitos médicos, qualquer problema é diagnosticado como VIROSE.
Isto é intrigante, então vamos ficar atentos. Cuidado quem tem filhos pequenos…

Nós presenciamos/vivemos situação semelhante, aqui em nosso prédio na República Argentina próximo ao Shopping Água Verde.
No dia 13/09/2008 sábado faleceu nosso vizinho de porta do apartamento, Diego Brusch de 21 anos com os mesmos sintomas descritos, abaixo.
Na quinta feira 11/09 teve dor de garganta à noite.
Na sexta feira trabalhou e foi para faculdade, quando apresentou novamente os mesmos sintomas com náuseas e diarréia sendo encaminhado ao hospital da Cruz Vermelha onde foi medicado e liberado.
Na mesma noite (sábado 13/09 ás 5:00 da manhã) quando seu pai foi verificar como estava já o encontrou com manchas vermelhas no rosto e parte do corpo. Levado imediatamente para o mesmo hospital foi internado na UTI vindo a falecer no mesmo dia em torno de 20:00 hs.
Os médicos nos informaram que estavam fazendo biópsia para descobrir a causa, mas não foi dado um laudo oficial.
Informaram que foi uma virose e recomendaram que todas as pessoas que entraram em contato com o garoto tomassem o medicamento Quino flox (Cloridrato de ciproflorasina) 500mg da Biolab.
Nós ainda não tomamos e consultaremos nossos médicos para termos uma opinião técnica.
Portanto caso ocorra com algum ‘ente querido’, não esperem, e exijam uma atitude mais eficiente (pró-ativa) dos médicos no primeiro atendimento.
Obrigado

Joaquim Bueno de Aguilar.
Joaquimaguilar@gmail.com,
joaquim.aguilar@copel.com

Atenção pessoal! Acabei de receber este e-mail e estou repassando em caráter de urgência pois o meu filho estuda no Colégio Expoente aqui em Curitiba e na quinta-feira passada, dia 04/09/2008, um coleguinha de 12 anos da sexta-série chamado Gabriel Daros faleceu de meningite meningocócica.
Importante dizer que o menino foi para aula na quarta-feira e jogou futebol com os amigos, como fazia de costume.
Na quinta não apareceu à aula.
Soubemos que ele foi encaminhado ao Hospital Pequeno Príncipe às 15:00hs da quinta-feira e já às 19:40hs entrou em óbito.

ATENÇÃO PAIS E MÃES!!!!! LEIAM E REPASSEM!!
Para muitos médicos, qualquer problema é diagnosticado como VIROSE.
Isto é intrigante, então vamos ficar atentos. Cuidado quem tem filhos pequenos…

Meu nome é Paulo Roberto. Meu filho Roberto Fernandes Cardoso, 6 anos, contraiu uma bactéria meningocócica, desenvolvendo o quadro de MENINGOCOCCEMIA.
Meu ojetivo é alertar para que crianças e adultos não continuem morrendo por ignorância (tanto delas como também dos médicos) e desaviso.
Muito se fala da meningite, mas nada se fala sobre a meningite meningocócica e muito menos a meningococcemia.
Não tenho intenção de exposição e nem de sensacionalismo.
Sou apenas um pai que por um milagre (depois vocês vão entender porque) não perdeu seu único filho.
A meningococcemia mata em 12 horas. É assintomática.
Ao contrário da meningite cujo sintoma é e mais fácil verificação (dor na nuca, cefaléia, febre, fotofo-bia), a meningococcemia inicialmente gera apenas febre alta, muitas vezes confundida com virose, gripe e doenças corriqueiras.
Por isso é imperativo que as pessoas tomem conhecimento até porque, já existe um surto (ainda não assumido) de meningite e suas derivações.
A bactéria (pode ser vírus – mais branda) cai na corrente sanguínea e causa uma infecção generalizada decorrendo em choque séptico fulminante.. E aí está a mortalidade dela.
No caso da meningite, a bactéria fica localizada nas meninges e por isso, seu tratamento é mais fácil.
No caso da Meningococcemia, a infecção atinge muitos órgãos, causando várias hemorragias, colapso circulatório devido à fragilidade capilar. Suas seqüelas são petéquias na pele (placas necrosadas), destruição dos rins, artrite, trombose, isquemia de extremidades (a amputação é uma constante), insuficiência cardíaca, visão baixa, surdez, etc.
Aqui vai um resumo do que aconteceu com o Roberto:
.. 06/04 – 20h00min = Febre de 40,5º. SEM NENHUM OUTRO SINTOMA. Medicado no Hospital Memorial com Novalgina intravenosa;
21h30min = Temperatura normal. Estado de saúde NORMAL;
.. 07/04; 24h30min = Febre volta e vomito. Medicado em casa com novalgina gotas;
07h00min = Após passar toda a noite com febre alta e delirando, vômito, mas, ainda sem qualquer outro sintoma;
09h00min = Surgem as primeiras petéquias (marcas na pele) e um derrame nos olhos;
09h40min = Entrada no URPEM, com todo o corpo tomado por petéquias;
10h30min = Exame de sangue confirma presença bacteriana, indicando doença meningocóccica.
É imperativo a transferência para uma UTI;
17h00min = Dá entrada no Hosp. Sev-Baby onde é confirmado a meningococcemia;.
Roberto ficou 8 dias na UTI e mais 13 dias no quarto tendo alta dia 27/04. Teve derrame do pericárdio, inchaço do baço, fígado e rins, líquido na pélvis e rins.
Não fechamento da válvula mitral, hemorragia estomacal e início de trombose (com risco de amputação das pernas), necrose em todos os dedos. Suas plaquetas chegaram a 29 mil.
Quando os médicos se referem a milagre, é porque a pressão dele chegou a 3 por 0, e no quadro em que ele chegou, a doença é de difícil reversão, e mesmo revertendo, ela sempre é acompanhada de amputação das falanges ou dos membros superiores e/ou inferiores, como também seqüelas físicas a neurológicas devido aos processos trombo-embólicos.
Ele saiu sem nenhuma seqüela, mas outras crianças e também adultos não tiveram a mesma sorte. ESTA DOENÇA ESTÁ MATANDO!
Então, peço para você que leu este texto que passe esta informação à frente. Você poderá estar salvando vidas.
É preciso que todos fiquem alerta, e desconfiem dessas ‘VIROSES’ que sempre os médicos muito convenientemente diagnosticam.

NOSSO COMENTÁRIO
Nenhum tipo de virose pode ser ignorado. O melhor que se tem a fazer é administrar imediatamente a solução de prata coloidal, em quatro a cinco doses de 10 ml cada (solução de imersão dos eletrodos em 250 ml por 10 minutos) e, adicionalmente, pode-se utilizar vaporização por duas a quatro vezes ao dia, com aparelhos comuns adquiridos em farmácia.
Se preferir, faça acompanhamento médico.
Se a mensagem acima é verídica ou não, não sabemos, contudo, não é bom negligenciar, pois existem casos em que médicos falham, seja por diagnóstico errado, seja por desconhecimento mesmo. A solução costuma ter eficácia contra mais de 650 tipos de patologias, envolvendo centenas de tipos de bactérias, fungos, vírus e demais microorganismos.

Fonte: Email recebido

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *