Skip to content

Novo estudo explica a resistência das bactérias aos antibióticos

Por Terra

Uma pequena molécula composta de um átomo de oxigênio e uma de nitrogênio tem um papel importante na hora de ajuda os agentes patogênicos a resistir aos antibióticos, segundo um novo estudo publicado na revista Science.

Uma pequena molécula composta de um átomo de oxigênio e uma de nitrogênio tem um papel importante na hora de ajuda os agentes patogênicos a resistir aos antibióticos, segundo um novo estudo publicado na revista Science.
O estudo chefiado por Evgeny Nudler, professor de bioquímica do New York University Langone Medical Center, proporciona provas de que o óxido nítrico (NO) permite aliviar o estresse nas bactérias causado por muitos antibióticos e ajuda a neutralizar muitos componentes antibacterianos.
“Desenvolver novos medicamentos para combater as bactérias resistentes aos antibióticos tem uma dificuldade importante, associada a grandes custos e incontáveis problemas de segurança”, indica Nudler em um comunicado.
“Aqui temos um atalho, onde não temos que inventar novos antibióticos. Em compensação, podemos melhorar a atividade dos já estabelecidos, tornando-os mais efetivos em doses mais baixas “.
O óxido nítrico foi inicialmente conhecido como um gás tóxico e um poluente do ar até 1987, quando um estudo que ganhou o Prêmio Nobel mostrou que tinha um papel fisiológico nos mamíferos, incluindo a aprendizagem e a memória, a regulação da pressão sanguínea, a ereção, a digestão e o combate às infecções e o câncer.
Há poucos anos Nudler e seus colegas demonstraram que as bactérias daninhas mobilizam o óxido nítrico para se defender contra o estresse oxidativo.
O novo estudo deste grupo defende a ideia de que muitos antibióticos causam o estresse oxidativo nas bactérias, geralmente provocando sua morte, enquanto que o óxido nítrico contra-ataca este efeito.
O trabalho sugere que os cientistas podem usar inibidores da síntese de óxido nítrico, uma enzima que produz óxido nítrico em bactérias e humanos, para fazer com que as bactérias resistentes aos antibióticos sejam mais sensíveis aos medicamentos disponíveis.
“Estamos muito entusiasmados com o potencial impacto desta pesquisa para continuar indo aos limites da pesquisa na área das enfermidades infecciosas”, indicou Vivian Lee, vice-presidente do NYU Langone Medical Center.
“Com o surgimento de bactérias resistentes aos antibióticos, é imperativo que os pesquisadores encontrem conceitualmente novos enfoques para combater estes agentes patogênicos”.

Fonte: TerraVoltar a biblioteca de notícias


Importante
: Os relatos sobre os efeitos dos colóides de prata e ouro são baseados em estudos disponíveis na Internet, de diversos pesquisadores de vários países, além de testemunhos pessoais, baseados no livre direito de expressão garantidos pelo Art. 5o da Constituição Federal do Brasil. Este site e seus responsáveis não garantem nenhuma “cura” de quaisquer doenças com o uso das soluções ofertadas ou das produzidas por aparelhos geradores de colóides, tendo em vista a inexistência de reconhecimento médico oficial e/ou de autoridades da Saúde. Os aparelhos são dispensados de registro no Ministério da Saúde, por se enquadrarem, na qualidade de “geradores iônicos” como “produtos correlatos”. Não recomendamos a suspensão de tratamento e acompanhamento médico de qualquer patologia

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *